Sofro de uma doença grave





Sofro de uma grave doença: tenho saudade de coisas que aconteceram antes de eu nascer. E tão grande é a emoção de viver outros tempos que sempre me deixo tomar por um crônico e mítico saudosismo. Mas, saudade de quê meu deus? De sentir o cheiro do fumageiro que vô Cecílio teve em Arapiraca. Das matinês no clube Fantoches, das algazarras na Ladeira da Preguiça, da capoeiragem no Cais do Porto da Bahia, dos quitutes de Dona Alzira do Conforto, das travessias a barco de Cachoeira a Salvador. Do Olodum cantando Tutakamon. De quando Edson Gomes lançou Malandrinha. De ouvir o Badauê no Zanzibar. Das estórias de assombração que Tia Olegária contava a criançada de São Bráz. 

Sinto falta de Elis Regina nos festivais, de João Nogueira cantando espelho, do Simonal, da Clara Nunes e outros grandes artistas que eu não nasci pra ver triunfar. Essa falta me faz colecionar coisas como a capa de um dos primeiros dicos do Ilê Aiyê - Canto Negro. Eu queria estar lá na primeira fila do show de lançamento deste bolachão. E assim constato: não pertenço a este mundo de hoje cheio de Igor Kanários e Chacinas no Cabula!!
Share on Google Plus

About Sueide Kintê

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário